Janeiro Branco


O ano de 2019 começou e junto com ele temos o Janeiro Branco e vocês sabem que eu amo essas campanhas psicoeducativas onde o foco é a melhoria de vida do sujeito.

O Janeiro Branco: uma campanha dedicada a convidar as pessoas a pensarem sobre suas vidas, o sentido e o propósito das suas vidas, a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto elas conhecem sobre si mesmas, suas emoções, seus pensamentos e sobre os seus comportamentos, uma campanha dedicada a colocar os temas da Saúde Mental em máxima evidência no mundo em nome da prevenção ao adoecimento emocional da humanidade.


Pensar como o começo do ano simboliza um recomeço de um ciclo, de vida, é algo motivador e todo tempo é tempo para pensar em maneiras de aperfeiçoar e criar uma rotina de vida de qualidade.

Quando você para e pensa algo que te estressa hoje e o qual você não ver uma possível solução, qual vem a sua mente?


Já sei qual a resposta...


É o trânsito, né? Infelizmente esse é um contexto social que promove um adoecimento e um dano a nossa saúde mental por falta de cuidados paliativos.


A violência, insegurança, ausência de empatia, a carência de investimento dos órgãos públicos em desenvolver políticas públicas voltadas para a nossa mobilidade que promovem a deseducação nesse contexto onde ser o errado é o correto, pois a postura certa não é algo aplicado aqui no Brasil... Consegue entender como tudo isso se torna algo que abala a nossa saúde mental?


Se todos nós somos expostos todos os dias a esses acontecimentos que banaliza e desqualifica um contexto tão importante para vida de todos os sujeitos que é a locomoção, o que poderia ser feito para amenizar todos esses fatores que não dependem de nós?


Possíveis soluções:


O trânsito é composto por três elementos: o veículo, a via e o homem, o terceiro é o mais importante e por qual motivo deixamos de investir na nossa qualidade de vida do sujeito?


Um simples planejamento de rotina focado na nossa mobilidade pode melhorar muito os impactos que o trânsito promove nas nossas vidas. Por exemplo, planejar sua semana, estudar seu roteiro e ver melhores caminhos a percorrer diariamente, buscar meios de transportes que não cobrem muito de você, se for melhor chamar um táxi por você se encontrar cansado ou indisposto para dirigir, faça isso, observe os momentos do dia e pense qual seria a melhor forma para você sair seguro de casa e retornar, pois tudo isso implica diretamente na sua saúde mental e física.


A nossa percepção de mundo por ser alterada a partir do momento que buscamos alternativas positivas para o nosso dia a dia, estamos acostumados a dificultar as coisas e quando entendemos que tudo só depende de nós, tudo muda.


É trabalho de formiguinha que reflete e tem um impacto grande na realidade de todos, vamos ser a mudança que queremos do trânsito e no mundo.


Se cada sujeito se responsabilizar em fazer e obedecer às leis de trânsito uma mudança acontecerá e os danos presentes no trânsito serão menores.


Vamos discutir como o trânsito afeta a nossa saúde mental e emocional?


A cura pela fala ainda é o melhor remédio, busque um profissional de psicologia para promoção de um autoconhecimento e prevenção, você é o melhor que o mundo tem para nos oferecer. Se cuide hoje e sempre.





Textos em destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts recentes