O meu, o seu e o nosso Carnaval



Estamos diante da maior festa do Brasil, quiçá do Mundo. Você gostando ou não, essa é a festa que nos representa lá fora e vou te mostrar os aspectos positivos relacionados a essa festa.


O carnaval possui vários sentidos e significados para os brasileiros, para algumas pessoas é o momento de liberdade onde é possível colocar para fora as coisas acumuladas do ano anterior, liberar geral mesmo. E outras pessoas que utilizam esse momento para descansar e usar esse tempo para outras atividades, esse momento permite até um misto dessas duas atividades.


Quando penso em carnaval a primeira coisa que me vem à mente é: Como é a estrutura? Trio elétrico, carro alegórico, bloco de rua tudo isso importa e determina como será o comportamento dessas pessoas durante esse tempo.


Qual a primeira coisa que você quando se fala em carnaval? Trio elétrico! Acertei? E onde que inventaram esse caminhão com aparelhos de som superpotentes que toca horas e horas seguidas e permite que pessoas dancem em cima dele? Em meados de 1950 em Salvador, os amigos Adolfo Antônio do Nascimento (Dodô) e Osmar Alvares Macedo colocaram aparelhos de som em um carro Ford 1929 que ficou conhecido com Fobica e essa engenhoca apareceu num domingo de carnaval à tarde no centro da cidade perto da Praça Castro Alves e conseguiu atrair muitas pessoas. Com o passar do tempo foram colocando uma corda para separar as pessoas que compravam a roupa (abadá) para participar do bloco, das outras que não tinham a roupa e mesmo assim queriam acompanhar o trio (pipoca).


Essa criação de Dodô e Osmar estabeleceu um legado no Brasil todo e podemos ver nela condução, mobilidade e como as pessoas aproveitariam melhor a festa sem ficar parado, literalmente, com a intenção de fazer com que mais pessoas ver o show caminhando e se deslocando do local. Da mesma forma acontece com os carros alegóricos que percorrem um determinado caminho com a comunidade ao redor cantando e contando um enredo, demonstrando o resultado do trabalho de um ano de uma escola de samba que durante o carnaval se desloca para mostrar para o Brasil o que foi planejado.


O carnaval atualmente com o uso desses veículos motorizados, seja o trio ou o carro alegórico, contribui significativamente para o turismo local das cidades onde a festa ocorre, consequentemente, a economia é valorizada através do desenvolvimento de empregos. Em especial dos profissionais de trânsito que se favorecem muito desse momento, em Salvador já ouvi relatos que devido o investimento no turismo e na divulgação do carnaval, quem trabalha nessa época consegue fazer uma rendinha extra.


Considerando os aspectos concretos e sociais que ocorrem nessa época em linhas gerais a festa pode ser avaliada como boa para o Brasil. Calma, nem tudo são flores! Como tudo na vida o carnaval também tem o seu lado negativo, que são recorrentes de aspectos subjetivos que são projetados ou ampliados nessa época, ou seja, questões de dentro para fora que saem nesse período. Como: a falsa liberdade, algumas pessoas acreditam que tudo é liberado no carnaval, a moral pode ficar de lado e tudo é permitido, desde vestimentas até atos imorais como fazer xixi na rua, atitudes que em dias normais são inviáveis, supostamente é tudo liberado e assim acontecem os exageros, na verdade não é bem assim, eu posso tudo? Não,né! Todo ato gera um resultado, pense nas consequências dos seus atos que cedo ou tarde aparecerão.


É triste dizer, mas, alguns preconceitos ainda estão presentes e são fortalecidos no carnaval, questões como a hipersexualidade que nesse contexto é necessário existir e às vezes não, a diversão pode ser só em dançar e fazer algo diferente e não necessariamente reafirmar a festa da carne. Gente! Estamos em 2018 e nem tudo é obrigado ser ao pé da letra, vamos dar um F5 e deixar os preconceitos do século passado lá no lugar dele, né?


Outra questão é a de quem gosta ou não, tem que ser realmente 8 ou 80? Céu e inferno? Para gente! Isso é preconceito, viu? Pense que a palavra de ordem hoje deve ser Equilíbrio! Tem coisas boas e ruins como acontece em tudo, você pode pular descansar, maratonar filmes e séries, meditar, viajar e pode conjugar vários verbos, mas o que você precisa conjugar em 1º lugar é Respeitar, às minas, os boys, tudo e todos.


Antes de tudo o carnaval é uma festa brasileira, patrimônio nosso que devemos enfatizar as coisas boas e entrar o ano com respeito e equilíbrio.


Dica de Música: Tribalistas - Carnavalia




Dica de filme: RIO



Textos em destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts recentes